• ECO Saboaria Natural

CAMINHAR, INSPIRAR E RECONECTAR COM A NOSSA ANCESTRALIDADE! Esse é o nosso convite!




Gostaríamos de compartilhar com vocês esse texto lindíssimo da Joana Formosinho e Fernanda Vidal que foi traduzido e inspirado no texto original de Joanna Macy. Ele nos convida a fazer uma caminhada inspiradora e de reconexão com a nossa ancestralidade. Um convite a uma experiência profunda com Gaia, permitindo observar o lugar da humanidade na vasta extensão do tempo e da evolução da vida no planeta. 🌎



"Vamos fazer uma viagem. A partir desse momento, você vai começar a ativar sua memória de uma forma sutil. Lembre de quando você acordou para vir à este local. Se você tomou café, o que teve em mente para o dia de hoje, o que viu na rua. Lembre-se com calma e sem receio de pensar nos detalhes. Teve alguma coisa surpreendente desde o seu despertar?

E ontem? Lembra da hora que você acordou, as pessoas que encontrou, como estava a sua casa… Você se preocupou em dar bom dia às pessoas olhando no olho delas? O dia tende a ser de fato bom quando isso acontece. Alguma descoberta nova no dia de ontem? Preste atenção na troca que você teve com as pessoas ao seu redor. Suas pré-ocupações estavam relacionadas a que? A alguma pessoa? A alguma situação? E na semana passada? Recue agora até o Ano Novo. Lembre-se de onde estava, com quem estava, se gostou de estar ali ou não. O que pensou sobre o ano passado… O que criou de expectativas para esse ano de 2021.

Aumente sua percepção e tente se lembrar se você percebeu transformações acontecendo este ano passado. Fora de você ou dentro de você. Em 2020, lembre-se de sua vida. Recue pelas estações e as diferentes sensações que cada uma passa. Recorde-se dos eventos ao longo do ano. Seu aniversário, você passou com quem? Projetou alguma novidade para o seu Ano Novo? Recorde-se de algum acontecimento que te modificou. Recorde-se da diferença em você entre janeiro e dezembro. Doze meses foram capazes de mudanças? E alguns anos? Também foram o suficiente para muitas transformações acontecerem? Recue alguns anos de sua vida. Dois ou três. As pessoas com quem você andava. Os planos que tinha em mente. As ambições, os ídolos, a rotina. As dúvidas. Você considera ter perdido alguma pessoa querida? E se você acha que perdeu, consegue também identificar o que ganhou com essa perda? Recorde-se de amigos, familiares, mestres, quem você conheceu, de quem você se afastou.

Lembre-se da sua adolescência. Os medos, as buscas, as utopias, os tombos, tropeços, saltos. Quem esteve ao seu lado. As ilusões. As desilusões. Recorde-se de sua infância. Daquele momento em que já reconhece rostos, lugares, sensações, opiniões, pessoas, sentimentos, palavras, épocas do ano. Entre em contato com os lugares da sua infância, com os hábitos da sua infância. O que você comia, o que você gostava de fazer, o que você não gostava de fazer, as pessoas do seu convívio, as pessoas que cuidaram de você, que te deram carinho e ajudaram a cicatrizar machucados em joelhos, cotovelos, testas e corações.

Recue agora através da vida da Humanidade. As guerras mundiais que já aconteceram. Quantas pessoas lutaram. Quantas pessoas sumiram. Quantas pessoas fugiram. Quantos lugares foram devastados. Mas também quantas descobertas. Quantas invenções. Quantas reinvenções. A revolução industrial, que trouxe tanta intensidade em nossas vidas, mas também acabou deixando de lado a beleza e a paciência dos processos, pensando mais nos resultados.

Recorde-se de movimentos, pensamentos, teorias. Você estudou elas na escola. Iluminismo, por exemplo. Lembre-se das pessoas. Lembre-se de como muitas delas foram queimadas por causa do Tribunal da Inquisição. Naquela época o pensamento não era livre. Naquela época você tinha de se submeter aos padres, bispos, arcebispos, papas. Egito antigo. Ele é distante, mas existiu tanto quanto você está existindo agora. Não é lenda. Não é mito. Aquelas pirâmides foram construídas por pessoas. Usavam togas, um calor incompreensível, ir buscar água no rio Nilo, carregando os baldes sobre a cabeça ou nos próprios braços. Andando com suas sandálias ou pés descalços sobre o chão de terra e areia e pedras.

Recue ainda mais. Quantas civilizações tiveram sua ascensão, acreditaram estarem eternamente ao poder e também tiveram seu declínio. Suas ruínas. Antes das civilizações. Os nômades. Andando em grupos, caçando, explorando, com suas armas de pedras, ossos. Descobriram como fazer fogo. Andaram e andaram por infinitas terras – do ponto de vista dos nômades – explorando e descobrindo o que o planeta Terra tem a oferecer.

Antes disso. Lembre-se que houve eras glaciais. A vida era completamente diferente. Recue pela transição. Entenda que o planeta e os seres que nele habitavam viveram essa transição. O que era gelo virou água. A Terra apareceu. Mas antes disso, as tribos faziam longas caminhadas, longas jornadas através da neve e do gelo em busca de abrigo. Andavam em grupo, em coletivo, porque é mais fácil quando você olha para o lado e vê alguém que caminha junto a você. Caminhando e coletando alimentos. Na companhia de animais e plantas. Descobrindo novas formas de viver pelo planeta que, desde aquela época, já era fornecedor primário de todas as necessidades das espécies.

Recue gerações. Trinta mil gerações. Cinquenta mil gerações. E esteja na África. Olhe ao seu redor. Veja a savana. Os animais andando e comendo e bebendo água. Nada disso pode prever o que está por vir 50 mil gerações à frente. Volte mais. Recue até os dinossauros. Aqueles répteis gigantescos que, a princípio, eram soberanos nesta Terra. Criaturas enormes, mais altas que prédios muito altos, fortes, cheias de dente. Eis que cai um meteoro e todos os soberanos deixam de lado suas soberanias e a Terra recomeça, dando início a um novo ciclo.

Recue ainda mais. Os primeiros animais que saíram da água e vieram à terra firme. Isso levou milhões de anos. Os primeiros vegetais. As primeiras plantas que fizeram fotossíntese a partir deste mesmo Sol que hoje nos aquece. E o oxigênio que as bactérias produziram. Lembre-se que no início eram só bactérias pluri e unicelulares. Microscópicas. Que conseguiram dar vida ao planeta. A formação das montanhas. Dos mares. Antes havia apenas gases neste Planeta. Que se originou de uma explosão ou não (ninguém sabe ao certo). Um planeta que não está nem perto de ser o maior do seu sistema solar. Que é apenas um dos sistemas solares de apenas uma galáxia. Isso tudo aconteceu só nesse planeta que é apenas um.


Agora, pare.

Você não é capaz de imaginar todos esses acontecimentos que estão por vir. Você está a 4600 milhões de anos atrás caminhando e observando o desenrolar de evolução deste planeta, de Gaia. O despertar da vida lentamente se processando através de milhões e milhões de anos. Volte à África, a 2 milhões de anos atrás, cinquenta mil gerações atrás. Comece a andar para frente, sobre seu próprio caminho, com seus próprios pés, ao longo do tempo, através deste infinito de acontecimentos que te trouxeram até aqui. Agradeça a cada um desses eventos. Agradeça a cada explosão, cada morte, cada guerra, cada árvore, cada animal, cada descoberta, cada sobrevivente, cada ensinamento, cada aprendizado coletivo de sua linhagem infinita de ancestrais que, por terem sobrevivido, têm algo a te ensinar sobre como viver também. Cada um deles tem um dom e uma capacidade absolutamente singulares para dividir contigo. Agradeça e aceite. Continue andando, vendo todas essas mudanças, vendo todas as situações, todas as formas de levar uma vida.

Volte para o agora. Você está em uma fração de tempo. Em um instante. Não é possível saber o que vem. Não é possível saber o que deve ou não ser feito porque o caminho está sendo trilhado. E lembre-se de que você não caminha com mãos vazias. Nem coração vazio. Você traz consigo tudo isso que esta Mãe Terra te deu. Você está no agora. Nesse momento, isso é tudo que existe. Mas vivemos em um tempo infinito de tão grande. E mesmo as coisas que deram errado, deram certo. Porque o tempo a longo prazo é muito mais inteligente do que nossa vida de 80, 90 ou 100 anos pode compreender. Quem compreende o tempo infinito, é a alma. Ter tudo ao alcance das mãos é bastante confortável. Mas a água tem muito mais sabor quando você vai com seu balde andando com seus pés, buscá-la no rio ou no poço.



O tempo real se estende para muito além dos ponteiros do relógio. O tempo da Terra, que é sua casa, contém o tempo de cada árvore, de cada ancestral, de cada descoberta, de cada bicho, de cada coisa que faz parte dessa história tanto quanto você. O tempo existe para que a matéria não seja eterna.

Por isso é muito importante se conectar constantemente com esse tempo maior e mais inteligente que nós. Assim é mais possível e mais sincero entender que tudo vai ficar bem. Isso também vai passar. E as respostas todas você consegue enxergar. Basta fechar os olhos para encontrá-las e abrir os olhos para vivê-las. Vivê-las na Terra que é, afinal, nossa primeira mãe e nossa primeira casa."



Um suspiro por esse texto lindo!

Tudo isso vai passar! Enquanto isso, cuide de você e de quem você ama! proteja-se! E desejamos do fundo do coração, que a nossa grande casa seja cuidada, protegida e respeitada.


Abraços!!


Fonte: https://www.ilali.com.br/ilali/2021/02/05/caminhada-espiral-do-tempo/

#ecosaboaria #gaia #reconexão #planetaterra #produtosnaturais #produtosartesanais #cosmeticanatural #quarentena #meioambiente #biodiversidade #conservaçãodabiodiversidade #conscienciaplanetaria #conservaçãodanatureza #consumoconsciente #saúde #bemestar #sustentabilidade #biodegradaveis #veganos #naturais #crueltyfree #cuidadoscomapele #belohorizonte #presentesartesanais #presentesbh #presentescriativos #compredequemfazbh #bh #semtestesemanimais #saboaria #slowbeauty #empreendedorismofeminino #saboarianatural #coldprocess #soapcoldprocess #responsabilidadesocioambiental


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo